Imagem aérea de Angra dos Reis, mostra mar com embarcações paradas

As muitas cores de Angra dos Reis

A variedade de azuis e verdes salpicada por centenas de ilhas e praias muito brancas, faz desse pedaço de mar de Angra dos Reis um dos mais encantadores recantos do mundo.

Impossível não cair de amores por esse pacote de belezas formado por oito baías, 365 ilhas, duas mil praias (sem contar a Ilha Grande e suas 105 praias que invadem Parati), que formam Angra dos Reis.

Foi batizada com esse nome por ter sido descoberta dia 6 de janeiro de 1502, Dia de Reis, por uma frota de portugueses embarcados por tamanha belezura. 

Angra dos Reis é formada por três metades: 

  • o Continente, com seus bruscos penhascos que se debruçam sobre o mar sem fim e calmo;
  • a densa mata que preserva cachoeiras, rios e lagos, onde fica a cidade de Angra dos Reis e sua vida agitada como toda cidade à beira-mar;
  • as Ilhas, onde há paz e sossego e, em algumas delas, nenhuma alma viva fora de temporada.

Sim! Angra foi descoberta pelos navegantes do mundo inteiro, e até hoje, por quem quer aproveitar suas belezas em casas espetaculares

Quem já estava em Angra dos Reis eram os índios Goianás, quando o navegador André Gonçalves aportou em uma das enseadas da recém-descoberta terra brasilis. 

Passaram-se mais de 50 anos até outros colonizadores voltarem àquele pedaço de paraíso e fundarem a Vila dos Reis Magos da Ilha Grande

Por séculos, Angra teve seus altos e baixos, seguindo os humores da economia do país e hoje, o antigo casario que borda a orla do continente convive em harmonia com construções modernas. Suas ruas de paralelepípedos dividindo espaço com o asfalto. 

A cidade de Angra dos Reis tem boa infraestrutura, saneamento básico, e preservação do meio-ambiente 16% dos 360 mil hectares de Mata Atlântica do Rio de Janeiro estão em Angra que abriga, também:

  • manguezais; 
  • o Parque Estadual da Ilha Grande;
  • o Parque Nacional da Serra da Bocaina;
  • o Parque Marinho do Aventureiro;
  • a Reserva Biológica da Praia do Sul. 

Enfim: um paraíso declarado pela Lei Orgânica do Município Área de Relevância e Interesse Ecológico.

Impossível ir a Angra e não conhecer suas Ilhas, que além de lindas, possuem mar transparente e boa pesca, são personagens de muitas lendas contadas por antigos moradores. 

Para conhecer, só indo desbravar aquela imensidão azul e conversar com os pescadores para descobrir que um navio fantasma é visto à luz da madrugada na virada de uma enseada. 

E que nas noites de lua cheia, a sombra de um casal de mãos dadas aparece sentado junto a Fonte da Carioca, lugar de encontro de um grande amor que foi jurado para durar toda a eternidade…

Lugares em Angra dos Reis para visitar

Se o mar oferece um colar de ilhas e praias, em terra firme você irá se surpreender. Conheça os melhores lugares em Angra dos Reis

No centro, encontra-se tudo o que se precisa para curtir uma estadia perfeita, e com muitos lugares em Angra dos Reis lindos para conhecer. Na Antiga Casa da Câmara, construída em 1871, fica o Paço Municipal que merece a visita. 

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, a mais importante de todas (existem muitas outras), começou a ser construída em 1623 e foi terminada em 1750. Em seu altar está a imagem da Virgem que, reza a lenda, não queria deixar seu altar em Angra dos Reis depois de ter sido doada para Itanhaém. 

Com três violentas tempestades impediu que o barco que a levaria para a nova comarca, içasse velas. O Convento de Nossa Senhora do Carmo e a Capela da Ordem Terceira ocupam uma construção erguida pelos Carmelitas no começo do século XVII e reformada no século seguinte. E também as ruínas do Forte do Leme entre outras fortalezas e monumentos históricos.

Esporte no continente

Para quem gosta de trilhas, caiaque e pedal, existem lugares em Angra dos Reis especiais para praticar esportes. Pode levar a bike, o tênis e todo o equipamento para o seu esporte preferido!

Entre as trilhas, a da Banqueta, no bairro do Areal, bem pertinho da cidade, leva a cachoeiras deliciosas; ou as do Ariró e Bracuhy, ambas na Estrada do Contorno, são uma boa opção também para quem pedala.

Para quem gosta de subir pelas paredes, na Praia das Gordas, existe um muro de contenção para quem está começando. Descendo pelas paredes quem faz rappel encontra no continente, pontos como a Mambucaba enquanto a turma do remo pode descer as corredeiras do rio Mambucaba num exercício de pura adrenalina.

É preciso levar o caiaque? Não, em Angra existem caiaques para as várias modalidades de canoagem que se praticam no mar, nos rios e nos lagos, e também pranchas para stand-up.

 

 Angra dos Reis: imagem ampla e aberta mostra colinas e montanhas
Trilhas Mambucaba
Crédito: tripadvisor.com.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Onde passar um dia de rei em Angra dos Reis

A cidade tem bons hotéis cinco estrelas e pousadas charmosas. Mas sem dúvida nenhuma the point é o Fasano Angra dos Reis.

A praia do Frade sempre foi das mais concorridas de Angra dos Reis. Em 2017, o condomínio FRADE ganhou um presentão: a inauguração do Hotel Fasano Angra dos Reis, que fez com que o que já era bacana ficasse ainda mais sofisticado. 

 

imagem diurna mostra área da piscina, no hotel Fasano, em Angra dos Reis
Hotel Fasano Angra dos Reis
Crédito: booking.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

A marca Fasano dispensa apresentações é reconhecida como sinônimo de excelência e qualidade internacionalmente. Não seria diferente em Angra. 

Inserido em um terreno com 17 milhões de metros quadrados de frente para o mar, e cercado pela exuberância da mata, o Fasano tem 60 amplos apartamentos que contam com serviço de mordomo, incluindo fazer e desfazer de malas, (e upgrade e late check out às 16h), que variam de 50 a 106 metros quadrados.

Com vista sensacional para a marina, além de um sofisticado SPA de 2 mil metros quadrados com os mais modernos tratamentos e tudo que o hóspede pode esperar de um Fasano: 

  • fitness center;
  • quadras de tênis e poliesportiva;
  • campo de golfe de 18 buracos; 
  • marina;
  • boulevard de lojas;
  • três piscinas; 
  • dois restaurantes

Os restaurantes são de conceitos distintos para atender a diferentes momentos gastronômicos do dia, sendo um deles o festejado Fasano Angra dos Reis. 

Para a noite, o chef Jonathan Lauriola propõe um menu voltado para opções do mar em sofisticadas elaborações e apresentações que se revezam de acordo com a sazonalidade. 

O chef trabalha com uma variedade de cerca de 25 tipos de frutos do mar, como: vieiras, camarões, lagostins e peixes variados – beijupirá, cherne, pargo, robalo, atum, olho de boi, entre outros, servidos no Restaurante da Praia.

Lugares mais bonitos em Angra: descubra qual combina mais com você

De sua porção continental as 365 ilhas espalhadas pela grande baía, descubra os lugares mais bonitos em Angra dos Reis

Escolher quais as ilhas mais bonitas dessa grande baía formada por oito baías e um sem fim de praias de todos os tamanhos, desenhos e tipos de areia, é tarefa para especialista, navegante, conhecedor. 

E talvez, mesmo que alguém passe um ano embarcado, visitando uma ilha por dia, a tarefa seja difícil. 

Mas tivemos algumas pistas de conhecedores de todo esse litoral, e dicas pescadas do Guia de Angra, Paraty e Arredores, que nos ajudaram nessa escolha tão complexa. Descobrimos, inclusive, que uma dessas ilhas é do popstar Ricky Martín

Vale lembrar os senhores navegantes, que Angra dos Reis é a menina dos olhos de quem tem embarcações de todos os tipos. Muitas de suas ilhas têm barcos-restaurantes que servem peixes e frutos do mar fresquinhos (alguns até entregam a bordo), o que atrai dezenas de barcos e muita gente. 

Outras com águas tão tranquilas e transparentes que convidam ao mergulho, e trilhas que levam a boas caminhadas que terminam em cachoeiras, algumas ruínas, pequenos povoados, enfim… 

Quem não gosta de bagunça, barulho, música alta, aglomeração, é melhor escolher outras ilhas mais desertas e silenciosas, e igualmente belas.

 

Imagem aérea mostra, em Angra dos Reis, o ponto turístico Saco de Mamanguá
Saco do Mamanguá visto do alto
Crédito: viajeali.com.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

O Saco do Mamanguá é um paraíso de sossego, uma vez que nenhuma escuna chega até lá e são poucos os barcos que se aventuram por sua entrada estreita para pilotos inexperientes. 

Por ser o único fiorde brasileiro, gera curiosidade, mas é preciso deixar o barco longe, fazer o trajeto de bote até a entrada do Saco, e subir até o topo do morro do Pão de Açúcar para admirar a vista. Haja fôlego… 

A Praia do Engenho é bem exclusiva e passa longe do roteiro das escunas e dos turistas. A praia de areia fina tem como estrela uma amendoeira que oferece farta sombra. Caminhando para dentro da mata, encontram-se as ruínas de um antigo engenho de açúcar. 

Imagem mostra árvore amendoeira, na praia do Engenho, em Angra dos Reis
A famosa amendoeira da praia do Engenho
Crédito: spguia.melhoresdestinos.com.br/Monique Renne/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Nas Ilhas Botinas, as águas são cristalinas e marimbas, cocorocas, sargentos, xereletes e estrelas do mar estão ao alcance da mão. Na Ilha de Itanhangá, Charlão Bosworth (filho do arquiteto americano Charles Bosworth) recebe os visitantes de braços abertos. E suas esculturas expostas ao ar livre merecem ser vistas.

A Ilha da Gipóia é a segunda maior ilha de Angra e a pesca da Jurubaíba é a maior atração. É aqui que fica a praia de Jurubaíba ou do Dentista, a mais badalada do pedaço, com restaurantes flutuantes e um pôr do sol de perder o fôlego e que deve ser visitada fora de temporada. A praia das Amendoeiras, um presente de Deus de difícil acesso por barco por conta das ondas. 

Imagem da Ilha da Gipóia, em Angra dos Reis
Ilha da Gipóia: melhor visitar fora de temporada
Crédito: allflags.com.br/praiadodentista/getty/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Ilhas em Angra dos Reis: a maior dentre todas elas, é a Ilha Grande

A Ilha Grande, como diz o nome, é a maior de todas, com 193 quilômetros quadrados, e os melhores pontos para mergulho do pedaço 

A Ilha Grande tem relevo acidentado e montanhoso, e elevações que alcançam cerca de mil metros de altitude, como o Pico da Pedra D’Água e do Papagaio. 

O principal vilarejo é a Vila do Abraão, que conta com pousadas, restaurantes, bares e compras. De lá sai um serviço de barcas que liga a Ilha a Angra dos Reis e Mangaratiba. Quatro unidades de conservação ambiental ficam na Ilha Grande. 

Quando D. Pedro II esteve na Ilha, ficou tão encantado que comprou as fazendas Dois Rios e do Holandês (hoje Vila do Abraão), onde construiu o Lazareto, um centro de triagem para passageiros que aportaram doentes. 

Foi no Lazareto que, depois de desativado, foi construído o presídio Cândido Mendes, para onde eram levados os presos políticos e onde Graciliano Ramos escreveu Memórias do Cárcere, sobre os anos em que ficou confinado durante a ditadura. 

Depois da demolição do presídio, a Ilha passou a receber visitantes e é conhecida como santuário ecológico. 

Angra dos Reis: imagem lado a lado. Da esquerda para direita: imagem de casa na Vila Abraão. Na direita, imagem em preto e branco das ruínas do presídio Cândido Mendes
Casinha da Vila do Abrãao. Ruínas do presídio Cândido Mendes
Crédito: Ilhagrande.com.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”.                                                Crédito: seropedicaonline.com/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

De barco ou caminhando a Ilha Grande merece ser conhecida. De Araçatiba, uma pacata vila de pescadores com algumas simpáticas pousadas, chega-se, por trilhas, a praias como Araçatibinha, a Vila de Provetá, e a Praia Vermelha

A duração da caminhada é de 5h30, mas vale a pena. Desviando-se do caminho, escondida entre a mata e os coqueiros, fica Itaguaçu, uma praia pequena e cinematográfica. 

Lopes Mendes é a praia dos surfistas, voltada para mar aberto e com ondas (é, Angra também tem onda). Difícil chegar de barco, porque não existe porto. O jeito é atracar em Palmas e seguir a pé. O visual do caminho é fantástico, as areias impecáveis, mas não há infraestrutura. 

Imagem aberta da praia com árvores e montanhas ao fundo, em Angra dos Reis
Praia de Araçatibinha na Ilha Grande
Crédito: ilhagrande.com.br/google/“nenhuma violação de direitos pretendida”

O Saco do Céu, na enseada das Estrelas, é o ponto de encontro de quem está de barco. O mar é tão calmo que parece um lago e, nas noites escuras, o brilho das estrelas refletido na água chega a ser mágico. 

Imagem da praia, com barcos parados, em Angra dos Reis
Saco do céu, perfeito para ancorar
Crédito: Angradosreis.files.wordpress,com/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

Os melhores points para mergulho 

São 50 pontos entre costões, parcéis, lajes e naufrágios, com as mais variadas profundidades e atrativos para quem faz mergulho autônomo, com snorkel ou “no peito”. Um de cada? 

No Parcel dos Coronéis, um dos mais bonitos, o labirinto de pedras chega a 30 metros de profundidade e é perfeito para mergulho autônomo. O Parcel da Pedra Branca e a Pedra Branca são para mergulhadores profissionais.

Nas Ilhas do Papagaio, Búzios, Cobra ou Queimadas, as profundidades não passam dos 12 metros e peixes pequenos e multicoloridos, corais e esponjas são a principal atração.  

Para ver tartarugas e botos, o melhor lugar é a Enseada do Sítio Forte. Mas lembre-se: a caça submarina é proibida. Leve sua câmera submarina, tire belas fotos, e guarde essas lembranças.

Angra dos Reis: imagem do fundo do mar mostra tartaruga no centro da foto, e mergulhador ao fundo
Tartarugas no parcel da Pedra Branca
Crédito: vivaomundo.com.br/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

Naufrágios atraem peixes e mergulhadores

Por conta da quantidade de pedras que existem no fundo do mar de Angra, é preciso conhecer muito a região, ter barcos de baixo calado, e cuidado para não bater e perder o barco. Como aconteceu com o Encouraçado Aquidabã, que afundou em 1906 e ainda está quase intacto.

É muito estranho o naufrágio do Bezerra de Menezes, que saindo de Angra com destino a Paraty, tendo navegado dois quilômetros, bateu no alagado e foi a pique. 

Outros naufrágios que atraem mergulhadores são os do cargueiro Pinguino e do navio Califórnia, vítima de ataque pirata na Praia Vermelha, para saquear sua preciosa carga. E há também os restos de um helicóptero que caiu, por conta do mau tempo, perto da praia do Bananal.

Angra dos Reis: imagem do fundo do mar mostra mergulhador ao lado de navio naufragado
Um dos navios naufragados na costa de Angra dos Reis
Crédito: evidive.com.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Vamos salvar a Loretti?

A Loretti não está mais no fundo do mar, mas a traineira de 110 anos, reconhecida como patrimônio da história do sistema penal brasileiro, que transportava presos políticos já na ditadura de Getúlio Vargas, está muito bem guardada.

Depois de ter ido a pique em 2014, na Marina Verolme, espera a recuperação pretendida pelo mestre Constantino Cotoxó. 

A campanha “Salvemos a Loretti” foi lançada pelo fundador da Associação de Canoagem Oceânica de Angra dos Reis (ACOAR), Marcelo Lopes, com apoio de moradores da Ilha Grande e de vários empresários, que pretendem recuperar a Loretti e transformá-la em museu a céu aberto. Tomara! 

Angra dos Reis: imagem mostra embarcação Loretti, parada em terra firme.
Embarcação Loretti, um ícone da história da navegação de Angra
Crédito: Angra.rj.gov.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Festas em Angra dos Reis: um punhado para escolher e se divertir

Não é apenas a concorrida procissão de barcos que acontece no réveillon, também há grandes festas em Angra dos Reis

Das mais antigas e concorridas, a Festa do Divino, um culto ao Divino Espírito Santo, celebrada no Domingo de Pentecostes (50 dias após a Páscoa), tem sua origem em Portugal, surgiu em Alenquer, no século 14, e chegou à Angra no século 17, trazida pelos Carmelitas. 

A festa conta com um preparatório de novenas, missas e procissões das bandeiras do Divino, saindo das comunidades católicas que pertencem a Paróquia Nossa Senhora da Conceição. 

Angra dos Reis: imagem mostra símbolo da festa do divino
Festa do Divino em Angra dos Reis
Crédito: carmelitas.org.br/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

São 10 dias de festa e devoção religiosa, sendo três deles presididos pelo Menino Imperador, que chega de barco ao cais da cidade e desfila pelas ruas. 

Entre missas, divertimentos e muitas antigas danças folclóricas como dos Coquinhos, Lanceiros, Jardineiras, Velhos e Marujos, que representam o Império do Menino. 

Os festejos terminam com uma procissão que leva o Menino Imperador e seu séquito, as imagens de Nossa Senhora do Rosário e do Divino Espírito Santo pelas ruas da cidade acompanhadas de uma queima de fogos.

Outras festas

Angra tem tradição na vela. Desde 1997, todo ano é realizada a Semana da Vela de Angra dos Reis.

Setembro

Campeonato Brasileiro de Hipismo Rural

Angra Elétrico – A Micareta de Angra dos Reis 

Outubro

Festival do Mexilhão de Cultivo da Ilha Grande.

Dezembro

Festa de N. S. da Imaculada Conceição 

Reveillon

Festa Internacional de Teatro de Angra (FITA) é um evento que reúne peças de teatro realizado anualmente na cidade de Angra dos Reis. Sua primeira edição foi realizada em 2004 e cada edição presta homenagem a profissionais das artes cênicas.

 

 

 

 

Oportunidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
Close Bitnami banner
Bitnami