Cultura de Buenos Aires: imagem interna de sala, no Museu das Belas Artes, mostra parede azul e quadros na parede

Cultura de Buenos Aires: quais maravilhas guarda a cidade?

Crédito imagem da capa: welcomeargentina.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Qualidade e diversidade é o que encontramos na cultura de Buenos Aires

Mesmo sendo considerada a cidade dos teatros, com mais de 300 casas de espetáculos, a capital da Argentina tem dezenas de museus que merecem a visita por sua qualidade e diversidade.

 

Buenos Aires: imagem interna do Museu Nacional das Belas Artes, mostra obra centralizada na sala
Museu Nacional de Belas Artes.                                                                                                                        Créditos: depasseiopor.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Com 120 anos de história, o Museu Nacional de Belas Artes guarda mais de 12 mil peças de diferentes períodos, nacionais e internacionais, e uma dezena de coleções particulares doadas por colecionadores. 

Entre os nomes que ocupam suas paredes estão Pollock, Moradi, Xul Solar, Monet, Portinari, esculturas de Rodin e Antoine Louis Barye, o que faz dele um dos melhores museus da cidade, contemplando a cultura de Buenos Aires.

imagem interna de sala no Museu Nacional das Belas Artes, em Buenos Aires
Salão no Museu de Artes Decorativas.
Créditos: buenosaires.travel/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Inaugurado em 1937, depois de o governo ter adquirido a moradia e as coleções da família Errázuriz Alvear, foi inaugurado o Museu Nacional de Artes Decorativas, no Palácio Errázuriz, onde vivia a família. 

Mais de quatro mil peças entre mobiliário, porcelanas, vidros, cristais, tapeçarias, pinturas, esculturas, ourivesaria e armaria dão uma visão do fausto em que vivia a alta sociedade. 

Buenos Aires: imagens de peças de arte expostas no Museu de Arte Latino Americana
MALBA Museu de Arte Latino Americana.
Créditos: welcomeargentina.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

O palacete é um primor em termos de arquitetura, em estilo francês. Aproveite que está na área para visitar o MALBA, onde está o nosso Abaporu, de Tarsila do Amaral, tela vendida para o colecionador Eduardo Constantini por US$ 2,5 milhões. 

Frida Khalo, Diego Rivera, Di Cavalcanti e Portinari fazem companhia a Tarsila no Museu de Arte Latino-Americano. Esses três museus podem ser visitados em um só dia, por estarem muito perto uns dos outros. 

O MAMBA (Museu de Arte Moderna de Buenos Aires), em San Telmo, é um museu para quem tem o olhar apurado para a arte experimental e vanguardista. Localizado em uma antiga fábrica de cigarros. 

É aqui que fica a obra mais polêmica da década de 1960, da artista Marta Minujín, “La Menesunda”, uma experiência sensorial e tanto, estando por ali, não deixe de visitar. 

No bairro La Boca, próximo ao porto e habitado basicamente por italianos e espanhóis, é onde está a sede do time de futebol Boca Juniors e onde fica Caminito.

Também encontra-se a rua Colorida, com suas casas feitas de madeira pintada de várias cores e onde está o Museu Benito Quinquela Martín, com obras que retratam o cotidiano de quem vivia no bairro no século 19. 

Benito Martín era pintor, conhecido como o “Pintor dos Portos” e Embaixador de La Boca. Outros artistas ocupam os dois primeiros andares da casa, no terceiro encontram-se objetos pessoais e obras de Benito. 

Também em Caminito fica a Fundação Proa, voltada para arte contemporânea, imperdível é sua livraria, com mais de nove mil títulos de autores contemporâneos e independentes. No último andar, um restaurante-café gostoso com linda vista para Puerto Madero. Todos os pontos encontrados fazem parte da maravilhosa cultura de Buenos Aires.

Amalia Lacroze de Fortabat, a mulher mais rica da Argentina, mecenas das artes, concebeu ela mesma o museu que abrigaria sua Colección de Arte Amalia Lacroze de Fortbat. O acervo inclui desde um mosaico bizantino e relíquias egípcias a artistas como Xul Solar, Chagall, Dalí, entre outros. 

Buenos Aires: imagem interna de sala no Centro Cultural Recoleta, mostra parede colorida com grafias
Centro Cultural Recoleta.
Créditos: mibuenosairesquerido.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

O Centro Cultural Recoleta se autodenomina “uma fábrica cultural; um espaço para investigar, criar e produzir novas cenas artísticas” apresentando aos jovens um local criativo para desenvolver diferentes manifestações culturais como:

  • hip hop;
  • desenho;
  • recreação.

Além de uma tenda com desenhos argentinos contemporâneos, cinema, laboratório de música, um centro de investigação, a residência dos artistas, e salas de exibição para artes visuais, etc. 

Imagem interna de sala, no Museu Evita em Buenos Aires, mostra vestidos luxuosos de realiza expostos
Museu Evita: o luxo das roupas e joias da “mãe dos pobres”.
Créditos: viator.com/google/”nenhuma violação de direito pretendida”

O Museu Evita e o Museu River estão tão perto que parecem ter sido pensados para marido e mulher com gostos diferentes. 

O primeiro procura manter viva a memória de Eva Perón, a “mãe dos pobres” por meio de fotos, vídeos de época, textos e seu guarda-roupa, considerado, na época, elegantérrimo. 

Atravessando a rua, está o Clube Atlético River Plate, retratando mais de 110 anos de aventuras do time, cujo museu fica junto ao Estádio Monumental de Nuñes, para os fanáticos por futebol.

Oportunidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
Close Bitnami banner
Bitnami