Imagem diurna e a céu aberto mostra estátua da liberdade, em Nova York.

Nova York: a cidade que nunca dorme começa a acordar

Nova York é tudo aquilo que você imagina e muito mais!

Mesmo quem nunca foi a Nova York, Manhattan, mais precisamente, conhece o Central Park, o SoHo, a Madison Avenue, Times Square, de tantos filmes e seriados que foram rodados na cidade. 

Depois de um longo sono chamado lockdown, a Big Apple vai despertando lentamente, mostrando como está se adaptando aos novos tempos. 

O nova-iorquino estava com saudade do outdoor. E está encontrando uma cidade ainda mais cool, com pessoas nas ruas vestindo roupas mais casuais, mais confortáveis, mas cheias de estilo de máscara, claro! E algumas figuras de pijama pela rua e até no metrô, acredite se quiser. 

Nova York: imagem desfocada mostra cruzamento, com carros passando rápido e muitas pessoas na rua
Cruzamento concorrido: pedestres e yellow cabs.

Os edifícios que revitalizaram áreas esquecidas no West Side estão quase prontos, restaurantes abriram suas portas com espaços ao ar livre, algumas grandes lojas fecharam suas portas e se remodelaram para atender a nova realidade: o on-line, que veio para ficar, dividindo espaço com o presencial. 

Alguns hotéis ainda estão fechados e a Broadway está se preparando para voltar com seus musicais em julho.

O sol voltou a brilhar, a Park Avenue está colorida pelas tulipas, o cherry blossom terminou, e o desejo de viajar aumentou tanto que as passagens estão sumindo. 

Maria Scarpa, nossa preciosa colaboradora, encontrou passagens para Miami só para o Thanksgiving, no final de novembro. 

Maria, que vive com marido e filhos há três anos em Nova York, sabe tudo de NYC, garimpa dicas pela cidade e arredores, para seu Instagram @tipsyellowcab_nyc, e não se cansa de curtir e amar the capital of everything.

Imagem dos prédios de Nova York iluminados pelas luzes das janelas ao anoitecer
Bem vindo a Nova York.

Gastronomia de Nova York: verdadeiro paraíso

Restaurantes charmosos e sabores do mundo inteiro contemplam a gastronomia de Nova York.

Dificilmente você vai passar por uma rua que não tenha um restaurantinho charmoso, ou não fique perto de um. E os sabores são do mundo inteiro…

Por conta da pandemia, os restaurantes tiveram de fechar suas portas. Mas não ficaram esperando autorização para as portas abrirem. 

Unidos, eles conseguiram aprovação da prefeitura para criar uma extensão outdoor, usando calçadas e até mesmo um pedaço da rua, o que antes era permitido apenas em algumas regiões e agora se estendeu pela cidade inteira. 

No inverno, esses espaços tinham aquecimento, o que permitiu que eles continuassem funcionando. Uma moda que veio para ficar, e no verão vai bombar, tornando ainda mais única a gastronomia de Nova York

O Eleven Madison Park, um dos melhores restaurantes do momento, localizado em um edifício art déco, com uma linda vista para o Madison Park esquina da 24th com Madison , fechou as portas durante a pandemia. 

E inventaram uma nova bossa que está fazendo o maior sucesso. Ao invés de delivery, você escolhe o pickup do dia, que é entregue em uma embalagem bem bacana, todos os ingredientes e o modo de fazer a receita além de um pacote da sua famosa granola para o breakfast do dia seguinte. 

A ideia foi tão boa que eles estão estudando reabrir as portas dia 10 de junho e… Surpresa:

Com menu totalmente vegano, uma inovação para um três estrelas, muitas vezes cotado como o melhor do mundo, e que vai ousar trocar seu pato com cobertura de mel e laranja por um “prato de beterraba com sabor ousado, que passa por um processo de 16 horas, servido com um creme de amêndoas fermentadas, purê de ervilha-milho e mingau de arroz com alface-aspargo”, segundo o Wall Street Journal. 

 

Nova York: imagem interna de restaurante mostra o lugar vazio, com mesas arrumadas e janela aberta
Eleven Madison Park: a sensação do momento.                                                                                      Créditos: eater.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Ao mesmo tempo, em parceria com a Rethink Food NYC, rodam a cidade com um truck azul servindo comida para os mais necessitados. Show!

Nova York: imagem letreiro eleven madison truck
Em parceria com a Rethink Food NYC, servindo comida para os necessitados.
Créditos: nypost.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Cultura de Nova York: cidade das artes

A cultura de Nova York abriga os maiores e melhores museus do mundo.

As regras mudaram: se antes era chegar, comprar seu ingresso e entrar, hoje é preciso reservar o horário da visita, pagar com antecedência e receber seu ticket online. O que não é ruim, porque evita aquelas longas filas para visitar uma exposição de sucesso.

O MoMa (Metropolitam Museum of Modern Art) passou por uma reforma sensacional, acoplando o vizinho e antigo Folk Art Museum e aumentando em um terço sua área. 

Ainda, modernizou a maneira de expor suas quase três mil obras, misturando clássicos com artistas atuais menos consagrados, mudando o fio condutor da ordem de suas galerias, o que pode parecer confuso, mas instigante aos sentidos. 

Nova York: imagem da frente do MoMa (Museu Metropolitano) após reforma
O MoMa: de cara nova
Créditos: nytimes.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Moda, fotografia, cinema, arquitetura, dança e design ganharam espaço privilegiado nos cinco andares, enriquecendo a cultura de Nova York.

Novas lojas, cafés, lounges e restaurantes estão espalhados pelos andares. Enormes janelas permitem que a cidade invada o espaço do museu, no papel de mais uma obra de arte. Uma visita obrigatória para quem for a NYC.

Nova York: imagem de helicóptero ao lado de bandeira de arte, sendo usado como sinalizador
Um novo jeito de mostrar a arte moderna: o helicóptero é um sinalizador.
Créditos: metalocus.es/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

O Metropolitan Museum of Art, MET, é visita obrigatória desde sua inauguração em 1872. É um dos mais visitados do mundo. Dois hits da estação merecem a atenção. 

O The Costume Institute montou uma super mostra sobre a moda americana, e dividiu em dois segmentos: 

  • o primeiro, em cartaz, com curadoria do Anna Wintour Costume Center, explora o moderno vocabulário do estilo americano, levando em conta igualdade, diversidade e inclusão; 
  • a segunda parte está prevista para maio de 2022, e complementa a primeira com o desenvolvimento da moda americana na mostra In America: An Anthology of Fashion. A atual sensação é a mostra de Alex Da Corte, com referências a Calder. Imperdível.
Nova York: imagem da vista do terraço do MET (Metropolitan Museum of Art)
Alex Da Corte, um novo nome no terraço do MET
Créditos: archpaper.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

A mostra mais esperada e concorrida não está em nenhum museu, mas no Bronx Botanical Garden, com a exposição da japonesa Yayoi Kusama.

Yayoi já foi conhecida por suas bolinhas, por suas flores, por abóboras gigantescas, e agora exibe pelas galerias e jardins de sua Kusama: Cosmic Nature, 50 obras inspiradas na natureza, que ficam em cartaz até 31 de outubro. 

Vale a pena esperar a nova mostra na artista de 90 anos, Infinity Mirrored Room—Illusion Inside the Heart (2020).

Outra mostra super esperada, com abertura prevista para junho, é Van Gogh: The Immersive Experience, no Skylight do Vesey e no Hudson Yard. 

A mostra em 360 graus que esteve em pequena edição no Pátio Higienópolis, em São Paulo , que convida o visitante a mergulhar no universo da obra do gênio de Van Gogh, a caminhar por seus campos de girassóis, graças à mais moderna tecnologia.

Nova York: imagem de mostra imersiva das obras de Van Gogh. Todas as paredes contam com obras do artista
Interagindo com a obra de Van Gogh.
Créditos: catracalivre.com.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

O Lincoln Center todo mundo conhece, pelo menos de nome. É o conjunto de edifícios que abriga doze companhias artísticas que vão desde a Philarmonica de Nova York ao Ballet da Cidade, a Metropolitan Opera de Nova York e a Juilliard School. 

Nova York: imagem gráfica do jardim The Green, mostra céu aberto e espaço gramado
The Green, um jardim aberto ao público, na esplanada do Lincoln Center.
Créditos: nytimes.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

O Alice Tully Hall está em reforma para ser transformado em um salão de multiuso, e com prazo de entrega bem adiantado. Enquanto parte de sua imensa esplanada foi transformada em um imenso jardim com grama artificial, para receber o público e espetáculos ao ar livre.

O novo darling da cidade atende por The Vessel, uma enorme escultura que parece uma casa de abelhas, feita de uma estrutura de aço revestida de cobre projetada pelo Heatherwick Studio, obra assinada por Thomas Heatherwick

São 154 lances de escada interconectados, 80 patamares e 2.500 degraus em espiral. A estrutura ocupa o centro de uma praça pública projetada em colaboração com Nelson Byrd Woltz Landscape Architects. 

Nova York: imagem do edifício The Vessel
The Vessel at Hudson Yards, uma experiência única para viver em NYC.

O The Vessel é um acontecimento em si, que pode ser alcançado pelo final da High Line, e os visitantes podem ir subindo essas escadas geométricas até alcançar 45 metros de altura, e ter várias visões panorâmicas de ângulos diferentes. Um dos bons horários para essa visita é o final da tarde, para aproveitar o pôr do sol.

Hudson Yards: o maior e mais aguardado projeto imobiliário de NYC

Hudson Yards: o maior empreendimento imobiliário privado dos Estados Unidos que revitalizou um bairro abandonado e degradado.

Pode-se dizer que o Hudson Yards é acontecimento único e com vários propósitos, além de revitalizar a área de Chelsea e Hell’s Kitchen como já aconteceu em regiões como o World Trade Center, depois do atentado de 11 de setembro de 2001, as áreas residenciais do Brooklyn, Dumbo , gerar empregos, trazer visitantes, moradores e frequentadores. 

Em cerca de 56 mil metros quadrados, ele reúne torres residenciais, escritórios, praças, jardins, shopping centers e restaurantes, todos projetados por alguns dos arquitetos mais emblemáticos do mundo. 

O investimento foi massivo: cerca de 25 bilhões de dólares, mas valeu cada “cent” gasto nessa obra, que começou a ser construída em 2012, e tem o ano de 2024 para estar completamente pronta.

Mas quem visita o Hudson Yards já tem o que fazer, além de conhecer a The Vessel, a super escultura de 45 metros de altura. Caminhar pelo local é presenciar uma mudança radical, do art déco do começo do século passado para as torres de vidro e aço desse novo milênio, sem nenhum arrependimento em termos de preservação. 

Nova York: imagem mostra vista do edifico The Vessel, a partir do edifício Hudson Yards
The Vessel visto do Hudson Yards.

O The Shop at Hudson Yards, um shopping center de sete andares (o primeiro de Manhattan) já está aberto com suas mais de 100 lojas para todos os públicos.

O mercado Little Spain conta com 15 quiosques, três restaurantes e três bares dedicados à gastronomia espanhola, além de várias opções gastronômicas excelentes e The Shed, um centro cultural com salas de teatro, que ocupa um edifício de oito andares. 

Estrategicamente instalado no 100º andar do 30 Hudson Yards, a atração é EDGE NYC, uma plataforma de observação com piso de vidro, que dá a sensação de que você está caminhando sobre a cidade como quando você visita a grande maquete da cidade e deck de observação de 360 graus com vista por toda a ilha de Manhattan.

Nova York: imagem de terraço com várias pessoas apreciando vista para cidade
Um olhar sobre a cidade que nunca dorme.
Créditos: travel4all.com.br/google “nenhuma violação de direitos pretendida”

Lugares diferentes em Nova York: onde ir?

Lugares diferentes em Nova York que definitivamente valem a pena visitar!

Você já conheceu a Ilha Roosevelt de teleférico? Ou acampou em Governors Island? Visitou o novíssimo museu da estátua da Liberdade? Pois é… Se tiver tempo, esses lugares diferentes em Nova York valem a visita.

Você precisa ficar um tempo em Manhattan para fazer esses programas, ou não fazer questão de flanar pela cidade, conhecendo cada townhouse, cada restaurante, espiando cada vitrine. Percorrer Nova York a pé ou de bicicleta é um grande barato, uma viagem que abre a cabeça e mostra, sempre, uma coisa nova. 

Mas tendo tempo… por que não ir conhecer a lindíssima High Bridge, a mais antiga ponte da cidade? 

Ou pegar o bondinho na Tramway Plaza, na Segunda Avenue, e, em cinco minutos, estar em Roosevelt Island, uma faixinha de terra de 3 quilômetros de comprimento por 240 metros de largura, a cinco minutos da cidade, praticamente residencial? 

Tudo o que você tem a fazer é passear, curtir a vista de Manhattan, conhecer os parques Southpoint e Lighthouse e a Blackwell House, de 1796, que pertencia aos donos da ilha. Leve um piquenique ou volte para comer em Manhattan. 

Nova York: imagem aberta de bondinho atravessando cidade ao lado de ponte
O bondinho para Roosevelt Island, um dos meios de transporte.

Ou passe um fim de semana tranquilo em Governors Island, em meio a bosques, campos de esporte e jardins. Você chega à ilha de ferry, a partir de Battery Maritime Building, e curte seu fim de semana exótico. 

A grande graça, além das programações que o conselho administrativo inventa ou de conhecer a ilha de bike, é hospedar-se em uma das tendas do único hotel, e viver uma experiência “glamping”, bem dosada combinação de glamour e camping.

Nova York: imagem aberta, ao anoitecer, com várias barracas iluminadas
Glamping em Governors Island, com Manhattan ao fundo.
Créditos: static01.nyt.com/google “nenhuma violação de direitos pretendida.

Lojas de Nova York: novidades para aproveitar

Algumas coisas mudaram na maneira da população consumir e as lojas em Nova York se adaptaram.

Nesses tempos em que a cidade esteve fechada, ficou patente que muita coisa iria mudar na maneira do nova-iorquino e também dos turistas consumirem. 

  • algumas lojas em Nova York fecharam suas portas, outras, como Zara e Louis Vuitton, estão reabrindo com novas regras: sai um, entra um;
  • outras aproveitaram para reformar, como a Apple da Quinta Avenida, reformulada para não ter mais aglomeração e com a volta do famoso cubo na entrada;
  • a Glossier, de beleza e make, cuja visita sempre foi um obrigatório acontecimento, que, por enquanto, está só no online;

a Victoria Secret ‘s manteve apenas uma loja funcionando e Net-a-porter, a loja multimarca que segue fazendo um baita sucesso, atendendo apenas on-line sempre com muito glamour.

Crianças em Nova York: um dia ideal para se divertir

Dicas para fazer os programas mais bacanas com as crianças em Nova York.

Primeiro, siga as dicas de Maria Scarpa @tipsyellowcab_nyc, que sabe todos os programas mais bacanas para fazer com a molecada.

Há três anos vivendo na Big Apple, mãe de três crianças Jazmin de 10 anos, Nicolas de 7 e Helena de 3 , Maria vasculha a cidade atrás do que fazer para divertir seus filhos. 

Para a HIGH ela escolheu o tema: “um dia ideal”, começando no café da manhã e terminando com o jantar.

Café da Manhã 

Uma opção é a rede de restaurantes belgas inspirada na culinária francesa, Le Pain Quotidien, com lojas espalhadas em muitos bairros da cidade. 

Sempre pedimos o “Petit Déjeuner”, que vem uma cestinha com um croissant de chocolate e pães orgânicos, acompanhado de suco de laranja ou uma bebida quente.

Curiosamente existem duas unidades dentro do Central Park: uma em frente ao Sheep Meadow e outra no The Pond

E já que você está no Central Park, um dos parques mais famosos do mundo, por ser muito grande, recomendo um passeio de bike com as crianças para ir conhecendo tudo. 

Nova York: imagem mostra homem e menina criança carregando bicicletas pelo parque
Pedalando no Central Park.
Créditos: Imagem cortesia Maria Scarpa

Nossas três paradas preferidas são:

  • Bethesda Fountain: um dos maiores símbolos do Central Park, uma linda fonte em frente a um lago, onde tem sempre tartarugas e peixes, pessoas andando de barquinho, e por estar no Bethesda Terrace, tem sempre artistas de rua cantando, pintando e animando o ambiente. Na altura da rua 72;
  • The Pond: fica próximo à saída do parque, na Central Park South entre a 5ª e 6ª avenida. O Conservatory Water é um lugar super família, onde as crianças adoram brincar com barcos com controle remoto. Eles podem ser alugados ali mesmo, de abril a outubro;
  • Reservoir: trata-se de um reservatório de água cercado por uma pista para caminhadas. Tem uma maravilhosa vista panorâmica do skyline de NYC, com os prédios refletidos na água, o pôr do sol e as árvores coloridas pelas estações são imperdíveis. No East Side, na altura das ruas 85 a 96.

Almoço 

Aproveitando que vocês estão no Central Park, que tal almoçar lá? Tem duas ótimas opções de restaurantes: 

  • Loeb Boathouse, aberto em 1954, era originalmente uma casa de barcos, e é o único restaurante em Nova York que fica dentro de um lago. O ambiente é agradável, a comida excelente e também alugam gôndolas. Na E72 Street. 
  • famosíssimo, o Tavern on the Green está aberto desde 1934 e é famoso até hoje. Na W67th com Central Park West.

Acabado o almoço, o que fazer? Duas ideias bem pertinho: O Museu de História Natural e a encantadora loja de brinquedos FAO Schwarz. No Museu, as crianças ficam encantadas com as réplicas de dinossauros e a baleia de 29 metros pendurada no teto. 

Nova york: imagem menina olhando para obra mostrando bisões
Museu de História Natural, réplicas de bisões encantam a molecada.
Créditos: Imagem cortesia Maria Scarpa

A FAO, na 5ª Ave, é o paraíso dos pequenos e dos grandes. Impossível não se impressionar com desde ursinhos de pelúcia, até brinquedos lindos, criativos, estandes de mágica e muito mais! 

A Customizer Race, onde você pode montar seu próprio carro de corrida; stands de mágica e experimentos científicos, e uma infinidade de brinquedos de todos os tipos e gostos. E aquele piano enorme, imortalizado no filme Quero ser Grande, com Tom Hanks e Robert Loggia tocando com os pés.

A imagem mostra a porta de entrada para o FAO, em Nova York
Entrada para o mundo mágico da FAO Schwarz.
Créditos: Imagem cortesia Maria Scarpa

Fim de Tarde

Leve a molecada para passear pela High Line, a linha elevada de trem antiga e abandonada que foi revitalizada e transformada num belo parque. 

A caminhada passa sobre o Meatpacking District, Chelsea e Midtown West, e pode terminar no The Vessel, a mais nova atração imobiliária do completo Hudson Yards, com shopping, a interativa loja de brinquedos Camp Stories. 

Vale a pena subir até o The Edge, o mais novo observatório da cidade, no 100º andar, todo de vidro, inclusive o piso (ui!), com uma vista de 360 graus da cidade. Sensacional.

Imagem mostra crianças no espaço Hudson Yard posando para foto
Hudson Yard, as crianças adoram “pisar no vidro sobre a cidade”.
Créditos: Imagem cortesia Maria Scarpa

Jantar 

Todo mundo cansado, que tal jantar no The Smith, atrás do Lincoln Center, um restaurante casual, bem típico, e com um menu que toda a família vai gostar? 

Deu preguiça? Fique no Hudson Yards e termine o dia no fast food Shake Shack, os pequenos adoram.

Maria Scarpa é brasileira e uruguaia, casada com um uruguaio, e entre outras coisas, criou o Instagram @tipsyellowcab_nyc com dicas super hype da Big Apple.

 

Oportunidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
Close Bitnami banner
Bitnami