Highlights
O que rola de especial por ai
Highlights
O que rola de especial por ai

Londres continua swinging e pop

Beatles, Rolling Stones, Mary Quant (a criadora da minissaia), a loja Bibba, King’s Road, Carnaby Street, e muito rock’n‘roll, são alguns dos responsáveis por virar de ponta cabeça a cultura e o comportamento inglês, e mundial – era a swinging London, o must go da vez. 

Londres fazia parte do roteiro de jovens de cabeça feita, e senhores e senhoras em busca de ópera, orquestras e balés.

A capital da Inglaterra e do Reino Unido, Londres, é uma das cidades mais importantes do mundo, ao lado de Nova York, Paris e Tóquio. Sua história é tão antiga que pode ser resumida por resquícios arquitetônicos de suas várias épocas, seja em monumentos, edifícios e residências. E mesmo muito bombardeada, principalmente durante a Segunda Guerra Mundial, conseguiu se reconstruir sem perder a identidade.

Se Paris é conhecida como Cidade-Luz, Nova York por ser a Big Apple, Londres não tem nicknames, tem uma aparência sisuda, talvez pelo contraste entre realeza e realidade; mas é uma cidade antenada, que abriga na City, um dos mais importantes centros financeiros do mundo, a sede das maiores companhias internacionais, e tem forte influência na política e economia mundiais, basta ver o impacto do Brexit – a saída do Reino Unido da União Europeia. 

Londres: imagem externa mostra diversos prédios em Londres
City: o centro financeiro de Londres

Há muito a ser visto em Londres: monumentos como o Parlamento, a torre do famoso relógio Big Ben ou a Torre de Londres, construída no início do ano 1000, onde as rainhas Ana Bolena e Catarina Howard foram presas e executadas por capricho do rei Henrique VIII; a Abadia de Westminster, o Palácio de Buckingham, residência oficial dos monarcas, museus, galerias de arte, parques e até a London Eye, a roda gigante que permite que se veja Londres em todos os seus ângulos. 

Há muito mais, que só quem vive a cidade pode contar.

Londres: imagem da estátura Victoria Memorial
Victoria Memorial em homenagem a rainha Victoria.

Londres tem verão sim!

Depois de meses de frio, quando o sol aparece, o que o londrino mais quer é ir pra rua, curtir os parques e aproveitar o dia até as 10h da noite.

O movimento outdoor londrino é grande nessa época do ano. Pubs e restaurantes preparam seus jardins e terraços para receber as pessoas, mesinhas são montadas nas calçadas para quem quer tomar uma cerveja ou o chá da tarde. Amigos e famílias saem do trabalho e vão aproveitar os parques, fazer piqueniques, conversar e curtir o calor que, no verão, chega aos 30º. 

Julho é o mês mais quente, e mais cheio. Agosto tem férias escolares, e alguns lugares fecham. Em setembro, o sol ainda está presente, é a melhor época para curtir Londres, um pouco mais vazia, mas ainda divertida e cheia de vida. 

Aproveite os dias mais quentes, do verão de Londres, para curtir a cidade, fazendo programas que no inverno são quase impossíveis de ir. Como explorar Camden Town, um misto de mercado ao ar livre, refúgio cultural e brechó de roupas e discos. E passear de barco pelo Tâmisa, que foi totalmente revitalizado, admirando a cidade ou mesmo tomando um chá da tarde.

Verão de Londres: duas imagens, lado a lado. na esquerda, a fachada do Camden Town. Na direita, barcos no rio Tâmisa
Camden Town, mercado ao ar livre. Passeio de barco pelo rio Tâmisa com o Parlamento ao fundo.

Londres, lugares imperdíveis para conhecer…

Esses programas são voltados aos pontos turísticos, mas obrigatórios para quem vai pela primeira vez a Londres

  • Abadia de Westminster em Londres, construída no século 10, onde reis e a rainha Elizabeth II foram coroados.
Imagem mostra prédio da Abadia de Westminster em Londres
Abadia de Westminster.
  • Palácio de Buckingham, a casa oficial da família real britânica. Dica: Em agosto e setembro, as portas do Palácio se abrem e é possível conhecer ambientes como a Sala do Trono e a Sala de Baile.
Londres: imagem diurna da fachada do Palácio de Buckingham
Palácio de Buckingham onde vive a família real britânica.
  • Big Ben Tower, na torre do parlamento. Aproveite que você está lá e visite o parlamento (se não tiver plenária), a Royal Gallery e Westminster Hall.
  • Conheça a London Tower, onde estão as joias da Coroa; e a Tower Bridge levadiça que foi cenário de filmes.
Imagem da fachada do London Tower, em Londres.
A Torre de Londres, onde ficaram presas e morreram as rainhas Ana Bolena e Catarina Howard.                                                                                                                                                                      Créditos: asaspraquetequero.com/google/ nenhuma violação de direitos pretendida
  • Visite os museus da cidade, são muitos e importantes, como o British Museum, a National Gallery, Victoria and Albert Museum, o Museu de História Natural, onde fazem sucesso o esqueleto da Dippy (a baleia) e de um Tiranossauro Rex imenso; além do famoso ponto turístico o Madame Tussauds Museum, com impressionantes bonecos de cera representando personalidades conhecidas, entre elas Pelé e Ayrton Senna. 

 

  • E as duas Tate: Gallery e Britain, e a galeria Serpentine que todo verão inventa uma novidade, a desse ano ela traduz Londres em sua estrutura, privilegiando a arquitetura das comunidades imigrantes, como Brixton Hackney e Notting Hill. Fragmentos da intervenção “Listening to the City”, interpretados por artistas como Ain Bailey e Jay Bernard, serão espalhados pelos bairros, numa maneira de conectar os visitantes às histórias e sons perdidos de Londres.
Duas imagens lado a lado. Na esquerda, obra presente na sala egito de Museu. Na direita, o prédio Tate. Ambos em Londres.
A sala do Egito do British Museum. Tate Modern.                                                                                      Créditos: worldbyisa.com/google/ e d4u4h6j8.stackpathcdn.com/google — nenhuma violação de direitos pretendida.
  • Vá na London Eye, a big roda-gigante de 121 metros de altura, que tem a melhor vista de Londres.
Imagem diurna da roda gigante London Eye, em Londres.
London Eye: A famosa roda gigante .
  • Harrods, a tradicional loja de departamentos, inaugurada em 1849, que vende de tudo, inclusive grifes objetos do desejo; e à Selfridges, datada de 1909, que foi personagem de um delicioso seriado da Netflix ainda em cartaz.  
Imagem da loja Harrods, em Londres
Harrods, a famosa loja de departamentos.
Créditos: media.fashionnetwork.com/google — nenhuma violação de direitos pretendida.
  • A Saint Paul’s Cathedral, construção do século XVII, é um ícone da cidade por ter a segunda maior cúpula do mundo, maior que a do Vaticano, e por ter sido onde o príncipe Charles e Diana se casaram em 1981.
Imagem da fachada da Catedral Saint Paul’s, em Londres.
Saint Paul’s Cathedral.
  • Passeie pelos muitos parques da cidade, o Hyde Park é o maior deles e o mais conhecido, por isso mesmo é o mais cheio, mas há outros como St. James, Regent’s, Greenwich, Primrose Hill (ideal para assistir ao pôr do sol) e Hampstead Heath, e descubra as peculiaridades de cada um deles.
Imagem mostra lago St. James Park, em Londres
O lago de St-James-Park.
Créditos: cdn.getyourguide.com/google/ — nenhuma violação de direitos pretendida.
  • A Trafalgar Square, no centro da cidade, é uma praça-homenagem à vitória na batalha de Trafalgar, super importante para os britânicos, e onde é montada a árvore de Natal da cidade.
Imagem do Trafalgar, durante dia ensolarado, em Londres.
Trafalgar Square.
  • Oxford Street, vibrante rua onde estão as lojas de departamentos.
Imagem pessoas caminhando na Oxford Street, em Londres
Oxford St. Curcus.
  • Você precisa ir à Borough Market, feira ao ar livre, lugar predileto de quem gosta de gastronomia. Aproveite para fazer umas comprinhas!
Imagem da fachada do Borough Market, em Londres
Borough Market.

Cultura é a alma de Londres

Além de ser conhecida pelos museus, que registram os mais diversos períodos da nossa história, a cultura de Londres é famosa pelos concertos, balés, festivais de música…

Aos 150 anos, completados em março, o Royal Albert Hall é a maior e mais importante casa de espetáculos de Londres e uma das melhores do mundo. 

Construída em estilo vitoriano, a história de sua abóbada de vidro é, no mínimo, curiosa. De forma arredondada, a obra estava parada à espera da chegada de sua monumental abóbada de vidro. Devidamente instalada, a peça desprendeu-se do lugar onde estava, indo se apoiar alguns metros abaixo, onde está até hoje. 

Imagem da frente do Royal Albert Hall ao anoitecer, em Londres.
Royal Albert Hall.
Créditos: culturainglesamg.com.br/google — nenhuma violação de direitos pretendida.

O Royal Albert Hall tem espaço para seis mil pessoas, e por seu palco já passaram desde orquestras de música clássica, balés, a música pop e contemporânea, cinema e até o Cirque du Soleil

Ele é sede do famoso BBC Proms, uma série de concertos de música clássica que acontece todos os verões desde 1895. Vale a visita pela arquitetura de seu edifício, e os efeitos de luz.

No verão é comum, também, que os parques da cidade recebam festivais de música, mímica, circo, entre outros. O Hampton Court, um belíssimo palácio cercado por jardins maravilhosos, também abre suas portas para festivais de música no verão. 

Imagem da frente/fachada do castelo de Hampton
The Hampton Court Palace.

É aqui que fica o Labirinto de Sebes, plantado no final do século 17, com um traçado que, reza a lenda, pode não ter saída. Em 2006 foi encomendado um trabalho artístico para o Labirinto, o grupo de arte Greyworld criou um projeto sonoro, Trace, sensacional

Uma dica para apaixonados por flores é o RHS Hampton Court Palace Garden Festival, um festival que traz desde shows, workshops de jardinagem, culinária e o concorrido The Festival of Roses.

Londres: imagem mostra um labirinto de sebes
O Labirinto das Sebes.

Estando na área, as dicas são almoçar no tradicional pub The Albany; ou ir até Richmond, um bairro e um parque super bacanas, e parar em um dos pubs às margens do rio para tomar um Pimms, uma bebida destilada à base de gim, que pode ser tomada pura ou misturada com limonada. Ou a popular sidra inglesa grande rival do chope.

Dica: Nessa época de pandemia, West End, a Broadway londrina, marcou para setembro a volta dos musicais. É bom conferir! 

Anote alguns:

Back to the Future, baseado no filme de sucesso “De volta para o futuro”, é a estreia do ano, prevista para 20 de agosto.

Londres: imagem dos personagens protagonistas do filme de volta pro futuro.
Back to the future, o musical.                                                                                                                            Créditos: backtothefuturemusical.com/google/ — nenhuma violação de direitos pretendida.

2:22: Uma história de fantasmas, premiado texto de Danny Robins, divertido thriller repleto de efeitos sobrenaturais, nos palcos a partir de agosto.

Come from away, considerado o melhor musical do ano, narra a história real dos sete mil passageiros que pousaram no Canadá, no fatídico dia 11 de setembro, e foram recebidos na cidadezinha de Newfoundland. Estreia prevista para 22 de julho.

 imagem mostra atores durante a peça Come From Away, em Londres
Come from away.                                                                                                                                                          Créditos: londontheatre.co.uk/google/ — nenhuma violação de direitos pretendida.

Para fãs de blockbusters

Visitar os estúdios da Warner Bros, em Londres, onde foi filmada a saga do bruxinho mais famoso. Passear por Notting Hill, o bairro onde Julia Roberts e Hugh Grant vivem um grande amor. Ou ir até Stonehenge e suas pedras que encantam fãs do seriado Outlander; podem garantir passeios incríveis pelos blockbusters em Londres!

Harry Potter, o bruxo mais famoso do mundo

Cenários reais e objetos usados nos filmes, adereços originais, tudo que foi usado nos filmes e foram filmados neste estúdio. A entrada se dá pelo grande salão do refeitório, com seu piso de pedra e cadeiras de madeira maciça. 

No programa, o Castelo de Hogwarts, a cabana de Hagrid com suas gaiolas de animais estranhos e a cozinha dos Weasley com seus utensílios mágicos. Adereços como o Nimbus 2000, a vassoura voadora e a motocicleta do Hagrid também estão lá.

Mas, e a plataforma 9 ¾  com o trem expresso que leva direto para a escola? Você vai descobrir onde fica. Muitos segredos serão revelados durante as duas horas de duração da visita. A cada ano, um dos cenários é preparado para ser uma surpresa para os amantes da série. Até setembro de 2021, o Grande Salão estará decorado com as cores da Sonserina.

Um lugar chamado Notting Hill

O bairro de charmosas casinhas coloridas ficou famoso graças ao filme. Todos os sábados é em Portobello que acontece a feira de artesanato, e a livraria fica na Blenheim Crescent, nº 13. Idem o Coronet Cinema, que foi inaugurado em 1898 e se tornou um dos melhores teatros de Londres.

Imagem de casas coloridas, lado a lado, no bairro notting hill, em Londres
Notting Hill .
Créditos: estrelatour.com/google/ — nenhuma violação de direitos pretendida.

Stonehenge: a Outlander inglesa

Mesmo que a série Outlander tenha sido filmada na Escócia, a estrutura formada por círculos de pedras, que chegam a ter 5 metros de altura e datam a até 3100 a.C., remetem as pedras mágicas que permitem que os personagens viajem entre os séculos que viveram, com os mesmos personagens da vida atual. Vale a pena fazer essa viagem que dura apenas 1h40 de carro, e sentir-se um personagem da série.

Imagens das pedras em pé, Stonehenge, em Londres
Stonehenge.
Créditos: s2.glbimg.com/google — nenhuma violação de direitos pretendida.

Quais os melhores bairros de Londres?

Se você quer conhecer um dos bairros mais elegantes de Londres, então precisa ir em Kensington, onde estão dois importantes museus da cidade: o História Natural e o Victoria and Albert Museum, além de ser onde está o Palácio de Kensington, onde a Rainha Victória passou sua infância, passear por seus jardins é uma delícia.

É nesse bairro que está o hotel The Gore, e seu lindo Bar 190, que merece a visita.

Knightsbridge fica ao lado do famoso e imenso Hyde Park, é um bairro residencial de casarões vitorianos e praças com belos jardins.

É bom não confundir Chelsea time de futebol com o bairro badalado, onde está a icônica King’s Road, famosa nos anos 1960, e onde moram os ricos e famosos, como Kate Middleton (antes de se casar) e a estilista Stella McCartney. A televisão inglesa mostra no reality “Made in Chelsea”, o estilo de vida posh, ou seja, dos ricos e sofisticados.

Imagem de vários prédios iguais, lado a lado, no bairo chelsea, em Londres
O bacana bairro de Chelsea.                                                                                                                          Créditos: elondres.com/google — nenhuma violação de direitos pretendida.

Hampstead é o bairro preferido dos acadêmicos, artistas e algumas celebridades que se encantam com os parques, prados e árvores de Hampstead Heath e a vista da cidade a partir de Parliament Hill. É também o bairro das lojas e restaurantes badalados. 

Enquanto que Stoke Newington e Finsbury Park (famoso também pelo parque) são as áreas mais bacanas para quem quer viver na região norte de Londres.

 

Imagem mostra várias entradas de pedra, lado a lado, Highgate, em Londres.
O charme de Highgate.                                                                                                                                              Créditos: media.tacdn.com/google/ — nenhuma violação de direitos pretendida.

Dicas de Patricia Tavares: uma Londres mais cool

Convidada pela HIGH para dar dicas especiais sobre a Londres que poucos conhecem.

Casada com o diretor de fotografia Adriano Goldman, Patricia se divide entre o Brasil e Londres, e foge dos roteiros convencionais. Uma fofoca para fãs de series? Em agosto começam os trabalhos para a quinta temporada de The Crown; uma sexta temporada está programada para ser a última.  

Passando temporadas em Londres, ela conhece a cidade e tem conselhos e dicas para dar:

  • Londres é famosa por seus jardins, e os londrinos pela paixão por jardinagem. Para quem ama plantas é impossível não conhecer Clifton Nurseries, a mais maravilhosa loja de plantas e jardinagem que vem inspirando gerações desde 1851, e é o mais antigo garden central da cidade, um verdadeiro oásis de tranquilidade, silêncio e verde. Tudo lá é maravilhoso e o café do The Queen Three Café é o mais legal.
Imagem de flores, dente-de-leão, em jardim em Londres
Clifton Nurseries, tudo para jardins.
Créditos: https: clifton.co.uk/google/ — nenhuma violação de direitos pretendida.
  • Uma coisa incrível em Londres são seus canais, você sabia? Little Venice (o nome já diz tudo), é o encontro de três canais (um braço de Paddington do Grand Union Canal, do Regent’s Canal e da entrada da bacia Paddington). A dica é trocar o passeio a pé, pelo barco curtindo a cidade por outra perspectiva. O bacana é que no meio desses barquinhos tem uma mesa, um guarda-sol, e a possibilidade de fazer um piquenique navegando.
Imagem rio little Venice, em Londres, passando entre casas e barcos.
Little Venice: o encontro de três canais.                                                                                                          Créditos: offloadmedia.feverup.com/google/ — nenhuma violação de direitos pretendida.
  • Se a primeira coisa que o londrino faz quando começa o verão, é ir para o parque, escolha Hampstead, menos cheio do que o Hyde Park, repleto por lagos (ponds) onde é possível nadar e até fazer topless (num especial).
Hampstead vista do alto, em Londres, mostra campo aberto e vários prédios.
Hampstead Park.
Créditos: parkgrandhydepark.co.uk/blog/google/ — nenhuma violação de direitos pretendida.
  • Dica mais do que preciosa: se você for passear por Portobello Road, o melhor dia é sexta-feira, é mais vazio e os produtos são mais legais. Vá por ela até o Westway (um pontilhão), onde acontece a feira retrô mais incrível de Londres, só de roupas como Prada, Dior, marcas objetos de desejo, tudo muito bem conservado e limpo. E tem bancas especializadas em good brands, camisetas, óculos “é tudo de chorar de lindo”, diz ela. 

 

  • Para quem se amarra numa feira, a dica é ir a Shoreditch Market, aos sábados, uma feira de artesanato muito legal, com barraquinhas variadas e food trucks. 
Imagens de pessoas concentradas no red market, em Londres.
Red Market in Shoreditch.
Créditos: Red Market in Shoreditch/ google.com/ —nenhuma violação de direito pretendida
  • Brixton não é um bairro sofisticado, mas é alegre, multicultural e cool.  É tudo muito legal, desde a moçada alternativa que circula pela área, a música, um bairro alternativo, moderno e nada perigoso. “A noite ferve de casas noturnas para dançar um soul bárbaro”, conta ela que cita Bussey Building e Hootananny Brixton, as favoritas dela. O menu de sons é diferente a cada dia da semana, então é bom checar antes de ir. 

É aqui que fica o Ritzy Cinema and Cafe, onde você assiste filmes, pode comer, fumar, tudo na plateia. O cinema estreou em 1911 e tem uma pegada meio retrô bem bacana. E os filmes são ótimos. “Assisti o último Tarantino lá”, diz.

Duas imagens, lado a lado. Na direita, mostra a fachada do Rtizy. Na esquerda, mercado a céu aberto Brixton. Ambos em Londres.
Ritzy Theatre em Brixton. Brixton Market, compras diferentes e divertidas.
Créditos: hebritishblacklist.co.uk/google/ e cdn.londonandpartners.com/google/ — nenhuma violação de direitos pretendida.

Na rua Golborne Road, além de uma feira de móveis e objetos antigos expostos na calçada, você pode dar uma parada na Lisboa Patisserie, para comer um dos melhores pastéis de Belém fora de Portugal acompanhado de uma bica (cafezinho)

Imagem fechada em xícara florida, que pode ser encontradas nas feiras de antiguidades em Londres.
Para quem coleciona xícaras, na feira de antiguidades de Golborne.
Créditos: selenestudiesabroad.files.wordpress.com/google — nenhuma violação de direitos pretendida.

Não deixe de ir conhecer Kew Gardens, o Jardim Botânico da cidade, um passeio delicioso para se fazer durante a semana.

Imagem de jardim botânico, Kew Garden, em Londres.
Kew Gardens.
Créditos: hisour.com/pt/google — nenhuma violação de direitos pretendida.
  • “Quando eu morava no Maiden, ao lado do canal, costumava tomar café em Waterway, um lugar charmoso para um drinque no fim de dia, até porque no verão anoitece às 10h da noite”, arremata Patricia.
Imagem de pessoas interagindo no Water Way, em Londres.
Waterway Café em Maiden.
Créditos: The restaurantclub.com/google.com — ”nenhuma violação de direito pretendida”

 

 

Você também pode gostar

Compare listings

Comparar
plugins premium WordPress