Imagem interna mostra centro comercial em Miami, com pessoas circulando e muita inovação

Miami está bombando!

Créditos da imagem de capa: miamiandbeaches.world/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

A Miami do século 21: as diferenças com o passar dos anos

A Miami do século 21 é bem diferente daquela que abrigava casais de meia-idade, aposentados, fugindo do frio do norte dos Estados Unidos.

A terra dos muitos sotaques, principalmente hispânico, se reinventa a cada dia. Remoça com retrofits muito bem pensados, revitaliza bairros (Downtown é um exemplo) antes muito violentos, e anda atraindo empresas dos mais diversos setores, inclusive o imobiliário.

Mas a maior novidade vem do setor de tecnologia. Em dezembro de 2020, em plena pandemia, Delian Asparouhov, empresário de tecnologia e diretor do Founders Fund, tuitou, segundo a revista Forbes (brasileira de abril): 

“E se mudássemos o Vale do Silício para Miami?”. Foi o que bastou para fazer os olhos do prefeito Francis X. Suarez brilharem. 

Ele sabia que era hora de aproveitar o momento, que chamou de Miami 2.0, e atrair para a costa leste, novos negócios. “O momento agora é tornar o movimento ativo e irreversível”, disse o prefeito, que aponta como principais atrativos: 

Temos um dos mais importantes portos das Américas; empregos no setor de inovação com altos salários; escolas de ensino fundamental nacionalmente premiadas; sistemas de saúde de primeira linha do sul da Flórida; universidades renomadas; mercado imobiliário aquecido; centenas de bilionários e titãs empresariais que fixaram residência na Flórida, além das tributações “amigáveis” que fazem com que novos empreendedores sintam-se bem vindos a Miami. Atitudes essas que cidades como São Francisco e Nova York estão deixando de lado”. 

Vale ou não vale a pena investir?

Downtown Miami: o centro da cidade de cara nova

Downtown Miami há alguns anos atrás

Há uns anos atrás, visitar Miami ou passear pelo centro financeiro não era programa para turista. A área estava degradada e era bastante perigosa.

Mas, as coisas começaram a mudar quando iniciaram a construção do Brickell City Centre, construído de forma sustentável, composto por duas torres residenciais, um hotel e um shopping center de alto luxo

Miami: imagem de espaço aberto, com sofás, mesas e cadeiras, para recreação no Brickell City Center
Brickell City Centre, sustentabilidade: as ondas que enfeitam o teto, foram desenhadas especialmente para trazer e devolver a brisa do mar e assim refrescar o ambiente.
Créditos: brickellcitycenter/arquivo/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Mesmo que compras não sejam seu foco, a visita vale a pena pela beleza e soluções sustentáveis de sua arquitetura. Também pela quantidade de restaurantes, bares, lojinhas descoladas e outras atrações que foram surgindo no shopping. 

Tudo isso ao redor dos três quarteirões que o complexo ocupa, que revitaliza o downtown. Isso sem falar de Mary Brickell Village, uma vila dentro da cidade, que surgiu no rastro do BCC, com ruas de lojinhas transadas, restaurantes e bares que lotam todas as noites.

Dica: O Sugar, que fica no rooftop e jardim no 40o andar do East, o hotel moderníssimo que fica ali pertinho (com várias piscinas, quartos com vista, e a culinária do uruguaio Quinto La Huella), onde você pode tomar um drinque acompanhado por tapas, e ficar apreciando Miami. O sunset visto de lá é imperdível.

Imagem de espaço amplo e aberto, com mesas e sofás, com Miami como vista ao fundo
Sugar: cocktails e tapas vendo o skyline de Miami ao fundo.
Créditos: brickellcitycentre.com/Sugar/ “nenhuma violação de direito pretendida”

As novidades de Downtown Miami 

Já faz um tempo que a região da Brickell está sendo revitalizada. Basta visitar a região e conferir o Brickell City Centre, os edifícios residenciais e o EAST hotel, para descobrir porque ela está sendo considerada uma das áreas mais bacanas da cidade

Imagem de área da piscina, com cadeiras para tomar sol ao redor, em hotel em Miami
Sugar: cocktails e tapas vendo o skyline de Miami ao fundo.
Créditos: Brickellcitycentre.com/Sugar/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Outra das novidades é Mary Brickell Village, uma vila dentro do coração da cidade, um shopping a céu aberto, lojas e restaurantes que, de noite, são points procurados pela variedade de bares e restaurantes legais.

Miami: imagem de lugar aberto, ao anotecer, com fonte de água e pessoas ao redor
Mary Brickell Village.
Créditos:
miamiinfocus.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Foi no coração do Mary Brickell, que o Moxie’s Grill & Bar, decidiu abrir suas portas com o melhor exemplo da culinária canadense, mesmo que seu menu pareça bem internacional.

Dica

Experimente os sorvetes da Le Roy Rene, são deliciosos! Ou os tacos da Tacology, quando estiver passeando no shopping do Brickell City Centre.

Miami: imagem conta com 3 fotos, lado a lado, de pratos gastronômicos. Da esquerda para direita: sorvete, carne e tacos mexicanos
O canadense Moxie’s Gril & Bar abre as portas no Mary Brickel Village. Sorvetes do Le Roy Rene. Tacology: tacos dos mais concorridos.                                                                                                 Créditos: miami.eater.com/google/ e brickellcitycentre.com/arquivo/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Arte contemporânea em Miami: cidade que tem um museu só para ela

O melhor da arte contemporânea em Miami não se resume apenas as galerias de arte ou à Basel Art Miami.

Dentre as opções, o Perez Museum também merece a visita. Agora que a vida parece estar voltando ao normal nos Estados Unidos, por que não descobrir que Miami também tem museus para visitar, além da Villa Vizcaya? 

O convite da HIGH é ir conhecer o Perez Museum, o PAMM, dedicado à arte contemporânea dos séculos 20 e 21. O Perez é um dos poucos museus que fica à beira da água da Biscayne Bay, o que já é diferente por si só.

Imagem da fachada do Perez Museus, em Miami, a beira de águas de uma laguna
Fachada do Perez Museum a beira da Biscayne Bay.
Créditos: pamm.org/Perez Museum/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Aberto ainda no século 20, em 2013, o museu ganhou novo edifício, projetado pelos premiados Herzog & de Meuron, escritório suíço, e virou darling dos amantes das artes. 

Nomes como Diego Rivera, John Baldessari, Olafur Eliasson, Purvis Young, Joseph Cornell, Kehinde Wiley, James Rosenquist, Frank Stella, José Bedia Valdés, Damian Ortega, Beatriz González, entre outros. 

A partir de junho, e até o começo de 2022, a estrela é Heaven’s Gate, o novo trabalho de Marco Brambilla. Uma obra satírica, digital e psicodélica, que tem Hollywood como inspiração. 

Miami: obra de Marco Brambilla faz sátira a obras hollywoodianas, como lalaland.
Marco Bambilla: Heavens Gate, 2021.
Créditos: pamm.org/coleção Perez Museum/ “nenhuma violação de direito pretendida”

E já que você está na área, aproveite para visitar o The Caribbean Cultural Institute e conferir as esculturas espalhadas pelo Mary M. and Sash A. Spencer Sculpture Garden, que reúne nomes como Anthony Caro, Gonzálo Fonseca, Edgar Negret, Ernesto Neto, Jedd Novatt, Pablo Atchugarry e Mark di Suvero. 

Uma visita super interessante!

Imagem de obra de arte que mostra figuras desenhadas, desconexas de sentido, com um morro e uma casa no alto. Localizada no The Caribbean Cultural Institute, em Miami
Caribbean Exhibition of Art.
Créditos: cci.pamm.org/art/arquivo/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Passeios em Miami fora da curva

Tem quem ainda ache que os passeios de Miami são só compras e restaurantes: big mistake!

Não são só compras e idas à restaurantes os programas que Miami oferece. Há outros, diferentes, divertidos e se você tem tempo, imperdíveis. 

Um dos passeios em Miami  é ir de trem até West Palm Beach, aproveitar o dia nessa cidade charmosérrima e voltar; conhecer o Zoológico de Miami, com animais bem exóticos. 

E para quem pode gastar mais de três horas de carro, no caminho de Orlando, dar uma parada na Siesta Key Beach, que é considerada a praia mais bonita dos Estados Unidos, com aquela pegada caribenha de águas transparentes, temperatura gostosa, e areia branquinha e fofa. 

Hospedar-se em algum dos bungalôs, tipo delícia, é viver momentos american style.

Miami: imagem mostra trem aerodinâmico
Trem aerodinâmico que sai de Miami e vai a West Palm Beach e Orlando.
Créditos: enjoymiamidicas.com/google/”nenhuma violação de direito pretendida”

Destino: West Palm Beach

O trem não pode ser mais futurista e rápido. Sai da Miami Central a cada meia hora, e em 65 minutos deixa os passageiros na estação central de West Palm Beach, a poucas quadras do centro, onde tudo acontece. 

O programa é passear meio sem destino pela Worth Ave., olhando as lojas, entrando nos cafés, fazendo comprinhas. E depois ir almoçar, tranquilamente, no Sant Ambroeus. 

Miami: imagem a ceú aberto mostra pequeno centro comercial, sem muita circulação de pessoas, com árvore no meio
West Palm Beach: Worth Ave.                                                                                                                     Créditos: thepalmbeaches.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

O Sant Ambroeus é velho conhecido de quem frequenta Nova York. 

Em 2016, ele abriu suas portas em West Palm Beach, levando para a ensolarada Flórida, o sabor (e o decór) da antiga culinária milanesa, revisitada pelo chef Marco Barbisotti. 

O chef incluiu no menu: Vitello Tonnato, Tagliatelle alla Bolognese, Risotti e Cotoletta alla Milanese, e também novas criações inspiradas em frutos do mar e vegetais da estação. As sobremesas são deliciosos mil folhas, tiramissu, tortas e outras delícias.

Palm Beach é uma pequena ilha separada de West Palm Beach por pontes. É o lugar dos milionários, do luxo e da elegância, que merece a visita, já que você está por lá. 

Palmeiras e a arquitetura de Jon Volk chamam a atenção, principalmente The Royal Poinciana Plaza, cercada por dezenas de renomados restaurantes, como o Carbone, Los Fuegos by Francis Mallman, L’Atelier de Joel Robuchon, Mr. Chow, Zuma, Salumeria 104 entre outros, e boutiques renomadas.  

Imagem da fachada do The Royal Poinciana Plaza, em Miami.
The Royal Poinciana Plaza em Palm Beach.
Créditos: Theroyalpoincianaplaza.com/arquivo/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Zoológico de Miami

O Zoo Miami, também conhecido como The Miami-Dade Zoological Park and Gardens, além de ser o maior da Flórida, é o único subtropical do continente americano. 

O que permite receber uma variedade enorme de animais vindos da Ásia, Austrália, África do Sul e das Américas, pouco conhecidos da maioria dos visitantes. 

Eles estão agrupados conforme a região de onde vieram, cercados por plantas típicas de cada região, o que ajuda a criar o habitat que eles estão acostumados. 

Se em 1948, data de sua fundação, o zoológico ocupava uma área de 48 acres, hoje são 750 acres, 4 milhas e caminhos, que abrigam mais de 500 espécies de animais. 

Alguns exemplos:

Orycteropus afer

Imagem mostra o animal Orycteropus afer, presente no Zoo de Miami.
Orycteropus afer.
Créditos: zoomiami.org/arquivo/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Orycteropus afer, que significa “porco da terra”, mesmo que ele seja mais aparentado dos elefantes do que dos suínos, é um mamífero noturno nativo da África sub-sahariana.

Pongo pygmaeus

Imagem macaco adulto com filhote nas costas, ilustra Pongo Pygmaeus, presentes no Zoo de Miami.
Pongo Pygmaeus.
Créditos: zoomiami.org/arquivo/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Pongo pygmaeus, da família dos orangotangos (que significa o homem da selva), é nativo de Bornéu, na Indonésia e pertence a uma das três famílias de orangotangos da Ásia.

Swainson’s Toucan

Imagem fechada mostra tucano, da espécie Swainson’s Tucany, presente no Zoo de Miami.
Swainson’s Tucany, românticas aves.
Créditos: zoomiami.org/arquivo/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Swainson’s Toucan é um tipo de tucano proveniente das Honduras, Colômbia e Equador. 

Tanto o macho quanto a fêmea são companheiros, alimentam-se um ao outro, e os machos defendem as árvores de frutas para que sua companheira tenha o que comer.

Siesta Key Beach: no reino das águas claras

Quem tem oito mil quilômetros de mar e praias como nós brasileiros, quando chegam a Siesta Key Beach parece que nunca viram o mar. As águas são tão transparentes, como as de uma piscina morninha e a areia branquinha e macia parece pó de arroz (mas é de quartzo, o que traz, dizem, boas vibrações).

Imagem mostra praia a céu aberto em dia ensolarado, em Miami
Siesta Key Beach, o paraíso é aqui.
Créditos: infobae.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

É o lugar perfeito para quem gosta de praia, de mergulho, de snorkel, de nadar. São poucas as opções de hospedagem, mas os bangalôs ficam bem perto da praia e tem aquele charme american beaches’ houses

No centro é possível encontrar de tudo um pouco: lojinhas, mercados, restaurantes, bares, todos muito charmosos. Basta um dia? Não! É mais gostoso ficar mais, mesmo que seja para não fazer nada.

Imagem fachada de casa localizada em Siesta Key Beach, em Miami.
Siesta Key Bungalow: pode ser mais gostoso?
Créditos: findrentals.com/google/”nenhuma violação de direito pretendida”

Programas em Miami que valem a pena

Museus e jogos de basquete: programas em Miami que não são perda de tempo.

O Museu de Ciência Patrícia e Phillip Frost é o lugar ideal para quem ama ciência e astrologia. O museu possui um planetário, um centro de vida selvagem com animais e um teatro onde acontecem alguns shows. Crianças adoram ver as estrelas, os bichos e até os shows de laser com temas musicais.

Imagem mostra pessoas sentadas, em sala parecida com a de cinema, e universo sendo projetado em planetário, em Miami.
Visitando o universo.
Créditos: tripadvisor.com.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Ah-Tah-Thi-Ki Museum em Miami esse dificilmente você já visitou. Ele exibe artefatos de cerâmica e vestuários da cultura Seminole. 

Conhecer, andando por uma trilha, o jardim, as plantas daquela cultura, e assistir à Cerimônia do Milho Verde, típica e que envolve música, dança, jogos e roupas especiais para festividades.

Jogo de basquete do Miami Heat em Miami, o time da cidade. A temporada, geralmente, vai de novembro a junho e as partidas acontecem na American Airlines Arena. A vibração da torcida é deliciosa, mesmo que você não entenda nada de basquete.

Miami: imagem mostra jogadores dos times de basquete Magic e Miami se enfrentando em partida
Orlando-magic versus Miami Heat: jogaço.
Créditos: semferrsport.com/google/”nenhuma violação de direito

Pode ser que…  Miami passe a sediar uma das etapas do Mundial de F1! a partir de 2022. O GP de Miami será disputado em um circuito a ser construído em Miami Gardens. É esperar para ver.

Oportunidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
Close Bitnami banner
Bitnami