Imagem mostra campo de futebol, no estádio do Morumbi, com céu azul durante o dia

Morumbi e arredores: muito espaço e charme

Bairro das grandes casas: conheça as preciosidades que vão além das boas escolas, hospitais e do estádio do Morumbi

Quando você pensa no bairro do Morumbi, imediatamente surgem na sua mente as imagens de casarões com muros altos e jardins muito bem projetados, ruas tranquilas e sombreadas, poucos carros circulando pelo bairro e serviços essenciais espalhados pelas avenidas que cercam ou cortam o bairro? Acertou, em parte. 

O Morumbi é assim mesmo, mas tem algumas preciosidades que nem todo mundo conhece, principalmente se você não é do bairro, e pensa que seria um bom lugar para morar. 

A proposta do engenheiro Oscar Americano ao abrir o loteamento, era atrair os endinheirados em busca de espaço e tranquilidade, para construir suas moradas nos grandes terrenos do bairro.

Oscar o batizou de Morumbi que em tupi significa “mosca verde”, ou segundo o filólogo especializado em tupi antigo Eduardo de Almeida Navarro, remete a maromby, o “rio dos peixes”, ou marumbi que quer dizer “lagoa de taboas”.

Em pouquíssimo tempo essa nova versão de bairro-jardim repleta de exemplares de espécies da flora brasileira, transformou-se em objeto de desejo, e foi sendo ocupado por casas espetaculares. 

E com o tempo ganhando a companhia de hospitais, museus, escolas, universidades e do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

A sede e a capela da fazenda Morumbi lembram o passado

Construída no século XIX, a Casa Grande e a Capela da antiga fazenda de chá foram restauradas e estão lá, como um lembrete de tempos antigos.

 

Morumbi e arredores: imagem mostra fachada da Casa da Fazenda
A atual Casa da Fazenda do Morumbi restaurada
Créditos: vejasp.abril.com.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

 

Nos tempos do plantador de chá John Rudge, a Fazenda Morumbi tinha uma sede e uma capela construídas com taipa de pilão, no mais puro estilo da arquitetura rural paulista. 

A transformação da fazenda em chácaras e a posterior compra das glebas para a transformação em bairro, mantiveram a Casa Grande e a Capela, mesmo que deterioradas. 

Conforme o bairro foi tomando corpo e ganhando importância, a imobiliária Morumby contratou, nos anos 1920, o arquiteto Gregori Warchavchik para restaurar os dois imóveis originais, alterando algumas de suas características de época. 

Em 1990, aconteceu a última obra, comandada por Antonio Gorios, que seguiu a base usada por Warchavchik, mas procurou recuperar a fachada original, alguns salões internos (inclusive a decoração), e recuperar com uma técnica desenvolvida pelo pernambucano Samuel Luciano da Silva, o grená original da fachada. 

O trabalho de restauração levou a Casa da Fazenda e a Capela a serem tombados pelo CONPRESP em 2005. A Casa é hoje administrada pela iniciativa privada, e é um espaço de eventos, principalmente casamentos, enquanto a Capela pertence à Prefeitura e lá acontecem exposições e instalações de arte, abertas ao público.

Lugares no Morumbi: bairro que respira saúde

Praças e parques não são apenas o que esse bairro tem a oferecer. Uma de suas maiores estrelas é um dos mais famosos estádios de futebol do país que vai muito além de apenas um lugar para assistir jogos , tem um dos maiores clubes poliesportivos, além do mais bem conceituado hospital da América Latina. São diversos lugares no Morumbi para conhecer. 

As praças e os bosques do Morumbi

É aqui que ficam os Parques Alfredo Volpi, conhecido como Bosque do Morumbi, e o Burle Marx, no Real Parque, que são os dois principais pulmões do bairro. 

 

Morumbi e arredores: imagem mostra placa indicativa do Parque Alfredo Volpi
Parque Alfredo Volpi
Créditos: prefeitura.sp.gov.br/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

 

Sem esquecer dos outros lugares no Morumbi, que fazem parte do luxuriante verde, como o maravilhoso parque que cerca a Fundação Oscar Americano, e nem o verde planejado por Burle Marx e depois revitalizado por Rosa Kliass, que abraçava a casa do conhecido playboy Baby Pignatari, que ficou décadas abandonada e que hoje abriga o estrelado hotel Tangará. Mas, pena! São poucas as praças do bairro. 

Duas delas são as mais concorridas: a Vinícius de Moraes, bem em frente ao Palácio do Governo, uma área de 1 quilômetro e meio, ajardinada e arborizada, onde quem mora no bairro se exercita, senta-se para conversar, namorar e é conhecida pela turma do skate como a praça dos 3 Lagos, e muito requisitada por eles. 

É aqui que fica, também, um lugar no Morumbi chamado Praça dos Cachorros, o ponto de encontro dos apaixonados por pets e seus donos. 

A Praça Carlos Drummond de Andrade fica no Real Parque e estava um pouco mal cuidada, mas em 2019, um mutirão de moradores se uniu para dar um trato na área e atrair assim as crianças do bairro. Entre as muitas melhorias está a escada que tem em cada degrau um trecho de um poema de nosso maior poeta.

Estádio do São Paulo: mais um dos lugares no Morumbi para conhecer

O terceiro maior estádio de futebol do Brasil, vai muito além do campo, da arquibancada e do centro de treinamento e das práticas de esportes que oferece.

No dia 2 de outubro de 1960, a bola rolou pela primeira vez no Estádio Cícero Pompeu de Toledo. De lá pra cá muitos jogos aconteceram, muitos shows bombaram em seu gramado, e muitas reformas levaram o estádio a ter uma das mais avançadas tecnologias de ponta em todos os sentidos.

O que talvez só os frequentadores assíduos saibam é que o clube tem um Concept Hall, uma área que reúne opções de entretenimento, negócio e lazer. 

O ponto alto é a mega loja da Under Armour, uma empresa de produtos esportivos para atletas amadores e profissionais, com lojas espalhadas pelo mundo. 

 

Morumbi e arredores: imagem loja under amour
Loja top para atletas profissionais ou não
Créditos: saopaulotricolor.com.br/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

 

Uma livraria Nobel, que dispensa apresentações pela qualidade e variedade de livros. O Santo Paulo Bar, localizado numa varanda de frente para o campo, com mesinhas, cadeiras, 18 telões que sempre exibem esportes ou futebol e serve chope gelado e sandubas gostosos.

 

Morumbi e arredores: imagem do Santo Paulo Bar mostra pessoas no ambiente interno
Santo Paulo Bar: esporte na beira do campo                                                                                        Créditos: vejasp.abril.com.br/google/”nenhuma violação de direitos pretendida”

 

Nos dias de jogo é preciso comprar um pacote para assistir a partida de camarote. O Espaço Nestlé, um camarote com telões que serve café Dolce Gusto e chocolates e a Sala Raí, ambos espaços de eventos com direito a telões; e o Fantastic World Buffet com brinquedos e menu voltado para a farra da molecada.

A São Paulo Mania vende produtos com o escudo do SPFC, uma unidade da academia Cia. Atlhetica convida as pessoas a malhar. 

E alguns restaurantes como o Copa Gastronomia & Futebol que também serve pizza, e o by Koji, o restaurante japonês do renomado chef Koji Yokomizo, que serve pequenas porções de sushis, sashimis e uma variedade enorme de saquês, são opções para matar a fome antes do jogo, ou mesmo quando a bola não está rolando no estádio.

 

Morumbi e arredores: imagem fechada mostra prato de comida japonesa
By Koji: tem japonês no estádio
Créditos: Tripadvisor.com/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

Instituto Vita: Ortopedia integral dentro do Morumbi

Um dos mais renomados institutos de reabilitação ortopédica fica dentro do estádio. Mas não atende só atletas…

O Instituto Vita foi criado por cinco ortopedistas formados pela Faculdade de Medicina da USP, com a proposta de criar uma clínica que oferecesse atendimento para todo tipo de patologia ortopédica, desde lesões a auxiliar na reabilitação física do paciente atleta ou não, com acompanhamento médico individualizado. 

Morumbi e arredores: imagem mostra fachada do Instituto Vita, no estádio do SPFC
Fachada do Instituto Vita, no estádio do SPFC
Créditos: vita.org.br/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

Sua equipe de ortopedistas e fisioterapeutas é altamente atualizada e especializada e conta desde fisioterapia, terapia ocupacional, osteopatia e correção postural, hidroterapia até a preparação física. Hoje existem várias unidades do Instituto Vita pela cidade, mas a do Morumbi foi a primeira.

O Clube Paineiras do Morumby é uma atração surpreendente 

Um dos bairros mais nobres de São Paulo, com a maior renda per capita da cidade, não poderia deixar de ter um clube, o Paineiras do Morumby, mesmo concorrendo com os famosos Pinheiros, Paulistano e Harmonia. 

Fundado em 1960, em uma área de 120 mil metros quadrados, o Clube Paineiras do Morumby abriga um trecho de mata nativa e um completíssimo complexo esportivo e social. A arquitetura brutalista típica dos anos 1960, abriga tecnologia de ponta em todos os sentidos, e o clube oferece muitas atividades para seus associados. 

São sete piscinas aquecidas sendo uma olímpica, uma piscina kids, cinco piscinas sociais, 15 quadras de tênis, duas de peteca e quatro de areia, três ginásios poliesportivos, um campo de futebol oficial e um society, uma cancha de bocha e muito mais.

Na área cultural, o Paineiras tem tudo o que você imaginar para você, família e filhos, inclusive um cineteatro com 228 lugares, bibliotecas, salas de aulas socioculturais, brinquedoteca e uma vasta programação de atividades para a molecada de todas as idades. 

Mas não é só. Restaurantes, lanchonetes, salão de beleza, barbearia, spa, cafezinhos e até um lava-jato estão à disposição dos sócios. Um espaço de paz e tranquilidade dentro de um bairro com as mesmas características. Mais um dos lugares no Morumbi incríveis para conhecer com a família. 

Morumbi e arredores: imagem mostra parque aquático, com piscinas e guarda-sóis
Um mar de piscinas
Créditos: Clubepaineiras.org.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

 

O melhor hospital da América Latina fica no Morumbi 

Se as escolas (Porto Seguro, Santo Américo, Madre Allix) são um referencial para a qualidade de um bairro, bons hospitais são os mais eficazes e tranquilizantes.

Imagem da fachada do hospital Albert Einstein, no Morumbi
O complexo Hospital Albert Einstein
Créditos: noticias.uol/googleimages/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

É aqui que fica a primeira unidade do Hospital Israelita Albert Einstein, fundado pela comunidade judaica de São Paulo em 1955. 

Considerado o mais moderno hospital da América Latina, o Albert Einstein foi a primeira instituição de saúde fora dos Estados Unidos a ser reconhecida pela “Joint International Commission” (a certificadora de serviços de saúde mais importante do mundo).

Esse centro de referência de qualidade e tecnologia de ponta, reúne uma equipe de profissionais capacitados para tratar as principais patologias e atuar nas áreas de medicina de alta complexidade.

Além disso, está envolvido em um profundo trabalho de pesquisa em várias áreas da medicina; presta trabalho social em parceria com a Prefeitura de São Paulo, com 12 unidades básicas de saúde (UBS) e 4 unidades de Assistência Médica-Ambulatorial (AMA) em algumas comunidades.

Imagem interna de centro cirúrgico mostra maca e equipamentos no Hospital Albert Eintein, no Morumbi
Sala de cirurgia de alta complexidade
Créditos: einstein.br “nenhuma violação de direitos pretendida”

Promessa de faculdade de medicina 

O Einstein oferece cursos de Graduação em Medicina e Enfermagem à Pós Graduação, Residência, Aprimoramento, Atualizações, além de Cursos Técnicos e Ensino Médio integrado ao Técnico. Essa nova faculdade de medicina forma profissionais de saúde de primeira linha. 

Morumbi e sua cultura: onde a arte se perde no meio da natureza

O bairro tem opções de passeios artísticos ao ar livre, embalados em muita história e cultura. Existe um programa mais completo? 

Um berço de cultura: a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano merece a visita

Preservando a natureza, o mobiliário e documentos importantes, além de realizar cursos e atividades artísticas, a Fundação é um oásis verde aberto à visitação.

Oscar Americano, o idealizador do bairro do Morumbi, não poderia morar em outro lugar que não fosse no bairro que desenvolveu com tanto cuidado. Depois da morte da esposa Maria Luisa, o engenheiro doou para a cidade a casa onde morou, por 20 anos, com a mulher e os filhos. 

E legou, também, sua preciosa coleção de obras de arte e um extenso parque com os mais diversos tipos da flora brasileira, criando assim um panorama do país do passado e do presente.

Morumbi e arredores: imagem externa da Fundação Maria Luisa e Oscar Americano
Fundação Maria Luisa e Oscar Americano                                                                                                Créditos: fundacaoorcaramericano.org.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

A casa, projetada pelo arquiteto modernista Oswaldo Arthur Bratke, data de 1950. Nela está o acervo de pinturas desde o século XVII, mobiliário, pratarias, porcelanas, tapeçarias e arte sacra formado pelo engenheiro e outras peças que foram sendo adquiridas com o tempo, tornando a cultura do Morumbi ainda mais valiosa. 

O parque que cerca a casa ocupa uma área de 75 mil metros quadrados, e começou a ser projetado e implantado, em 1948, pelo paisagista Otávio Teixeira Mendes, para que as futuras gerações tivessem acesso à vegetação típica brasileira.

Numa mistura de pau-brasil, pés de café, jacarandá, pau-ferro, eucaliptos e outros espécimes que formam um condensado da nossa rica flora. Segundo consta, o acordo entre as partes era que o paisagista seria pago “por árvore de qualidade, plantada e vingada”. 

Por sua dimensão e variedade de espécies, o parque da Fundação é importante reserva ecológica da cidade, e também berço de mais de 50 espécies de aves que buscam a sombra de suas árvores para sobreviver na selva de pedra. Uma dica: Compre o guia do parque e descubra as qualidades desse jardim, caminhando pelos dez setores propostos. Vale a pena.

Onde: Av. Morumbi, 4077, tel. (11) 3042-0077

Chá da tarde 

Depois de conhecer a Fundação, apreciar as obras de arte dos mais diversos períodos da história do Brasil, que se espalham por essa casa que é uma das maiores referências da arquitetura moderna brasileira, conhecer um pouco da cultura e caminhar pelo parque, reserve um tempinho para um delicioso chá da tarde, servido no melhor estilo inglês.

Morumbi e arredores: imagem fechada mostra xícara de chá centralizada
Que tal um chazinho à tarde?
Créditos: memoriasdeumestomagofeliz.files.wordpress.com/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

A casa de vidro dentro do bosque

O primeiro projeto da arquiteta Lina Bo Bardi, que tem em seu currículo nada menos do que o MASP e o SESC Pompéia, fica aqui, no Morumbi. 

Foi em meio às árvores e ruas sinuosas do bairro, que o casal de arquitetos italianos Lina Bo e Pietro Maria Bardi decidiram construir sua morada. 

Imagem externa mostra frente da casa de vidro, no Morumbi
Casa de Vidro: onde viveram Lina Bo e Pietro Maria Bardi
Créditos: spcity.com.br/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

Apelidada de A Casa de Vidro, esse ícone da arquitetura moderna com fachada toda de vidro, apoia-se delicadamente sobre pilares, no centro de um terreno de sete mil metros quadrados. 

Se de um lado o engenheiro Oscar Americano fez de seu condomínio um retrato da flora brasileira, o casal de italianos planejou e plantou seu jardim deixando que a vegetação rasteira da época vicejasse e se transformasse em uma floresta particular, cortada por caminhos de pedras e cacos de cerâmica.

Ponto de encontro de intelectuais, A Casa de Vidro não poderia ser outra coisa, depois da morte de seus moradores, que não um Instituto voltado para a cultura, um espaço de pesquisa e troca de ideias, tombado pelo CONDEPHAAT em 1987, que também promove e divulga a cultura da arquitetura, do design, urbanismo e da arte popular brasileira.

Imagem interna mostra exposição dentro da Casa de Vidro, no Morumbi
Casa de Vidro: Instituto em exposição
Créditos: archdailybrasil.com/google. “nenhuma violação de direito pretendida”

O acervo do casal é um testemunho de respeito ao povo brasileiro e uma mostra de seu interesse genuíno pela nossa cultura e memória.

Textos, fotografias, filmes, documentos, anotações pessoais, cadernos, plantas, maquetes, notícias de jornal e objetos de arte popular, os desenhos de Lina Bo Bardi está tudo catalogado e digitalizado para ser visto e pesquisado. Merece a visita.

Onde: Rua General Almério de Moura, 200,
[email protected]

Palácio Tangará: cinco estrelas no Morumbi

A casa que um dia foi do playboy Baby Pignatari não perdeu o glamour: é hoje o estrelado Palácio Tangará.

Nos anos 1940, Francisco Matarazzo Pignatari, o Baby, adquiriu a antiga Chácara Tangará, uma área de 15 hectares em plena avenida Morumbi. Pretendia erguer ali a casa onde moraria com a mulher Nelita Alves Lima. 

Contratou Oscar Niemeyer para construir a casa, Burle Marx para fazer o paisagismo e… apaixonou-se pela princesa Ira von Fürstenberg… 

A separação aconteceu, as obras foram canceladas e o terreno ficou lá, vazio, até se transformar em parque público. Em 1991, Burle Marx revitalizou seu projeto, a casa que Niemeyer começara a construir foi demolida, e começou a ser pensada a implantação do complexo hoteleiro de alto luxo Palácio Tangará, uma construção com influência francesa, 141 apartamentos sendo 59 suítes e, mesmo que tenha muito mais, duas pérolas merecem atenção: 

  • restaurante Jean-Georges;
  • espaço wellness

O chef Jean-George Vongerichten, que assina os menus de restaurantes estrelados em mais de 30 restaurantes espalhados pelo mundo e é merecedor de muitas estrelas Michelin, escolheu o Palácio Tangará para sua primeira experiência na América Latina. 

O Tangará Jean-Georges fica no térreo, com vista para o verde do Burle Marx, e serve uma gastronomia contemporânea que vem com sua assinatura estrelada.

O Palácio Tangará também conta com o Flora Spa, que possui cinco salas de tratamento, sendo uma para casal, e um menu de tratamentos para deixar qualquer um relaxado só de pensar no assunto.

Morumbi e arredores: imagem interna mostra sala de estar em spa e mulher em pé de roupão
Spa Flora by Sisley Palácio Tangará
Créditos: lifestylebrazil.com.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

Compras no Morumbi vapt vupt: conheça os melhores lugares

Por ser um bairro estritamente residencial, para ir às compras no Morumbi é preciso ter carro

No caminho do bairro, depois de passar a ponte da Cidade Jardim, você encontra o Varanda, que é perfeito para aquele momento “xiiiii, esqueci….”, mais para frente tem banco, drogaria, pet shop e outras coisinhas mais.

Na Marginal Pinheiros, existem inúmeras lojas de construção como Leroy Merlin, C&C Casa e Companhia; academias de ginástica; a Decathlon com tudo para esportes e aventuras, e outras grandes lojas.

Mas, e dentro do bairro? Tem o famoso Mosquinha, uma papelaria que tem muito mais do que lápis e cadernos, e quebra o galho de quem precisa de alguma coisa urgente para festinha, escritório, linha e agulha e muito mais. 

E a festejada casa de carnes Santa Bárbara, que tem os melhores cortes para o churrasco do fim de semana e também carnes grelhadas para levar para casa, é um ótimo lugar para compras no Morumbi. 

 

Morumbi e arredores: imagem da esquerda mostra cadernos e lápis de cor. Imagem da direita mostra geladeira de açougue com carnes
Mosquinha: a papelaria mais completa da área. Sta Barbara Casa de Carnes
Créditos: foursquare.com/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”

 

Colado no condomínio Place des Vosges, a versão brazuca da famosa praça do bairro do Marais, em Paris, onde viveu o escritor Victor Hugo, e da Rede Bandeirantes, tem um St. Marche, supermercado completíssimo, com tudo do bom e do melhor para fazer compras no Morumbi. Dica? Os pães e o pão de queijo são deliciosos.

Para os lados do Panamby e do Real Parque você encontra mais coisas para comprar, a Taiyo, super loja de cosméticos do Panamby, a padaria Bienal e a Colina Verde, os deliciosos bolos da Bolo à Toa, as novidades do Ateliê Casa Tua, esses dois no Real Parque. Mas tem de ir de carro, porque a pé…

 

Morumbi e arredores: imagem da esquerda mostra bolo sendo cortado. Imagem da direita mostra peças de artesanato
Delícia do Bolo à Toa. Ateliê Casa Tua: criatividade para casa
Créditos: boloatoa.com.br/google/ “nenhuma violação de direito pretendida”.                                                    Créditos: ateliecasatua.blogspot.com/google/ “nenhuma violação de direitos pretendida”

 

 

 

 

 

 

Oportunidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
Close Bitnami banner
Bitnami